Plano de saúde empresarial: você sabe como contratar o mais adequado para a sua empresa?

Entenda como funcionam os planos e como escolher o melhor para auxiliar na saúde dos funcionários

Publicado por administrator

10 de agosto de 2021

A saúde é um fator primordial na vida. É preciso que estejamos saudáveis para que possamos designar qualquer outra atividade com qualidade, não é mesmo?

Para muitas pessoas, ter um plano de saúde é sinônimo de segurança, praticidade e rapidez. Não é atoa que ter um plano de saúde é o 3º maior desejo do brasileiro, atrás apenas de moradia e casa própria, segundo dados do Ibope de 2019.

Na maioria das empresas, esse é um benefício incluso para os colaboradores e pode ser até motivo para que se aceite uma vaga ou não, tamanha a sua importância.

Por isso, separamos um conteúdo especial para que você entenda como funcionam os planos corporativos e como escolher o melhor para a sua organização.

 

Primeiramente, o que é um plano de saúde coletivo?

O plano de saúde coletivo é aquele plano contratado por uma empresa, conselho, sindicato ou associação junto a operadora de planos de saúde, para que assim possa oferecer serviços de origem médica ou odontológica para os seus colaboradores ou até mesmo para os dependentes dessas pessoas.

Entre os planos coletivos, existem dois tipos:

Planos empresariais: oferecem assistência à saúde dos colaboradores que estão vinculados à empresa.

Coletivos por adesão: é mais comum que seja destinado a um grupo de profissionais participantes de uma organização. Neste caso, a associação apenas intermedia, mas o responsável pelos custos é o próprio contratante.

 

Como funcionam os planos de saúde?

No Brasil, o direito à saúde é assegurado pela Constituição, portanto, é um dever do Estado. Apesar disso, a mesma Constituição permite a possibilidade da sociedade se organizar para prestar serviços de assistência à saúde, permitindo assim que os planos particulares existam e sejam regulamentados pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Atualmente, o Brasil conta com pouco mais de mil operadoras de saúde, entre médico-hospitalares e exclusivamente odontológicas.

 

Quais os tipos de planos por cobertura assistencial?

A cobertura é sempre o conjunto de procedimentos contemplados dentro de cada plano sem custo adicional, isto é, exames, tratamentos, internações, consultas, etc.

Para encontrar o plano mais adequado para os seus funcionários uma boa dica é cruzar os dados dos diferentes tipos de cobertura de acordo com as necessidades dos colaboradores da sua empresa.

Plano de referência: Considerado o padrão mínimo de cobertura, cobre exames, consultas, tratamentos e para hospitais, disponibiliza acomodação coletiva.

Plano ambulatorial: Prevê consultas (consultório ou ambulatório) e tratamentos que necessitem de ambiente ambulatorial que não excedam 12 horas, pois não cobre internação.

Plano hospitalar: Cobre tipos de atendimento durante a internação hospitalar apenas.

Plano hospitalar com obstetrícia: Cobre tipos de atendimento durante a internação hospitalar e procedimentos necessários em uma gravidez como pré-natal, parto, pós parto, e cuidados com o recém-nascido até que ele complete 1 mês de vida.

Plano odontológico: É feito separadamente e cobre procedimentos odontológicos como consultas, exames, cirurgias e emergências.

 

Como funcionam os planos empresariais e como posso escolher o mais adequado?

Como são contratados pela empresa, o vínculo empregatício é obrigatório para que o colaborador usufrua.

É extremamente importante que a pessoa que vai contratar o plano de saúde empresarial conheça muito bem o seu quadro de funcionários, para que assim possa contratar o serviço mais adequado de acordo com as necessidades dos colaboradores, uma vez que é necessário decidir entre benefícios diferentes para cargos diferentes.

Questionários e pesquisas feitas pelo RH podem ser uma ótima opção, pois ajudam a traçar os perfis que existem dentro da organização, determinando assim as faixas etárias ou doenças crônicas que possam estar presentes, por exemplo.

Lembrando que antes de contratar qualquer serviço é importante verificar se a empresa está registrada na Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), acessando o site http://www.ans.gov.br você pode consultar dados sobre desempenho e índice de reclamações de cada operadora, por exemplo.

Outra informação importante é checar qual a sua rede credenciada, ou seja, quais os profissionais de saúde cadastrados, clínicas, hospitais e laboratórios credenciados de acordo com cada plano, assim como a sua abrangência geográfica, sendo nacional, estadual, municipal, etc.

 

O que é carência de um plano de saúde?

A carência é o termo utilizado para o prazo estipulado para que o beneficiário possa utilizar os planos de saúde adquiridos.

Ela existe como forma de viabilizar que as operadores funcionem de forma correta e para que as pessoas não contratem os planos somente em casos de emergência, o que poderia alterar muito os valores dos planos devido a instabilidade que isso poderia causar.

Os prazos máximos de carência são: 24 horas (urgência, emergência e partos emergenciais), 180 dias (consultas, exames, internações, cirurgias e parto feito até a 37ª semana de gravidez) e 300 dias (parto feito a partir da 38ª semana de gravidez).

 

Como funciona o cálculo de reajuste?

Ao contrário dos planos individuais, os empresariais não têm o reajuste regulado pela Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Os contratos empresariais com mais de 30 vidas têm seus índices de reajuste fixados mediante a negociação entre o contratante e a operadora, por isso é tão importante que você conheça bem as cláusulas do contrato e entenda bem como funcionarão os reajustes em cada caso.

 

O que é cooparticipação?

A coorparticipação é uma opção para reduzir os custos sem alterar a rede credenciada. Nesta opção, o colaborador paga parte do valor da consulta ou procedimento realizado, geralmente descontados direto da folha de pagamento.

É uma opção interessante para pequenos negócios, que muitas vezes ainda não conseguem oferecer um plano de saúde completo, ou para um quadro de funcionários sem muitas comorbidades, necessitando do plano apenas para consultas de rotina ou emergências que possam surgir.

 

O que é sinistro e por que devo ficar atento se há cobrança sobre sinistralidade?

Sinistro é todo a ocorrência de todo evento que tem cobertura pelo plano contratado, ou seja, é tudo que acontece e que, teoricamente, tem cobertura pelo plano. Algumas operadoras cobram a taxa de sinistralidade, ou seja, quando há excesso na utilização dos serviços cobertos pelo plano.

Portanto, para que não haja surpresas, é indicado que você consulte com a sua operadora se essa taxa é cobrada e em quais ocasiões isso é feito.

Com todas essas dicas, você já pode procurar qual o melhor plano de saúde corporativo para a sua empresa. O segredo, nada mais é, do que uma boa pesquisa, tanto de operadoras quanto dos seus funcionários, para que assim você possa contratar o melhor serviço para a sua organização.

Quer saber mais detalhadamente sobre o assunto? A Omint separou um ebook especialmente para você sobre o assunto.

* Nome Inválido

* CNPJ Inválido

* Número de telefone inválido

TERMO DE CONSENTIMENTO: ao preencher e enviar voluntariamente o formulário acima, estou ciente e plenamente de acordo que as empresas do Grupo Omint, diretamente ou por meio de seus parceiros comerciais, poderão utilizar os dados pessoais fornecidos para a finalidade de oferta de produtos e serviços e para o envio de comunicações. Estou ciente, ainda, do inteiro teor da Política de Privacidade e Proteção de Dados Pessoais do Grupo Omint (www.omint.com.br/politica)

Por favor aceite os termos de privacidade

Deixe seu comentário

Comentário enviado para a moderação.

Por favor aguarde!

Assine nossa Newsletter

E-mail cadastrado com sucesso